É a sua primeira visita?

Entenda a Minha História.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

50 Corações.

Era uma vez um gatinho...
Ele era cinza e branco e muito bonitinho.
Assim que desmamou, conseguiu uma família.
Compraram mimos e mais mimos para ele.

Sempre que alguém ia visitar a família, a família orgulhosamente mostrava o gatinho recém adquirido:
-Olha o que pegamos, não é uma fofura?
-Lindo sim! Parabéns!

Leia Mais...


O gatinho pensava "Uau, minha família me ama e tem orgulho de mim! Sempre me pegam para me mostrar às outras pessoas!"
Ele não se importava que estivesse dormindo. Super feliz, ia ao encontro das pessoas sempre que elas chegavam à casa. Afinal, era muito amado.

Os dias foram passando e aconteceu seu primeiro vômito. Infelizmente, bem em cima do tapete da dona da casa.
-OLHA O QUE ESSE GATO FEZ! BATE NELE PRA ELE APRENDER A NÃO FAZER ISSO!

E nosso gatinho apanhou pela primeira vez na vida, sem entender direito o que tinha acontecido.

Com seis meses, a família já não o mostrava para as visitas com tanta frequência. "De certo é porque eles sabem que estou dormindo e não querem interromper o meu soninho" pensava ele em sua ingenuidade.

Sua caixinha, que antes era limpa diariamente, chegava a ficar agora 3, 4, 5 dias sem limpar. Um dia, de tão suja que estava, ele fez suas necessidades em outro lugar escondido para que ninguém visse. Escondeu tudo numa terrinha que ele encontrou num cantinho e voltou para o sofá, sem perceber a terra preta embaixo de suas patinhas brancas.

Quando a dona chegou em casa e viu seu sofá claro todo sujo de terra, com toda sua força jogou sua pesada mão em cima das costas do gatinho que ali dormia. Mais uma vez, confuso e dolorido, o gatinho foi se esconder. Chorava por dentro "O que eu fiz de tão terrível para merecer uma surra dessas?"

Os meses foram passando, e ninguém mais ligava para o gatinho. Quando as visitas chegavam, ele alegremente ia para a porta da frente recebê-los, como quando era pequeninho, mas agora era enxotado aos pontapés "Sai daqui gato chato!" gritava a família, envergonhada perante as visitas.

Muitas vezes nosso gatinho foi ao encontro de seu potinho de comida e encontrou-o vazio. Faminto, tentava tapear sua barriguinha com farelos da cozinha. Cansou de correr da vassoura enquanto estava tentando se alimentar de restos.

Tristemente abandonado, ele percebeu que a "fofura" de antes tinha crescido, e hoje ninguém da família queria cuidar dele ou se orgulhava dele.

Sentindo-se um peso, decidiu partir mundo afora. Não por curiosidade, mas por necessidade de buscar alimentos e para não dar mais trabalho à sua família, que sentia-se visivelmente irritada com sua presença onde quer que ele estivesse.

Reclamavam dos pêlos pela casa, dos vômitos, das necessidades fora da caixinha quando a caixinha estava suja. Esqueciam de comprar ração, não ligavam se ele estava doente ou deprimido.

Nosso gatinho passou dias e dias na rua, em busca de alimentos. Revirou lixos, restos de coisas que as pessoas jogavam no chão, bebia água do esgoto, as vezes da poça que a chuva fazia.

Até que um dia, ao tentar atravessar a rua para revirar os sacos de lixo do outro lado, um caminhão passou por cima do seu magro corpinho.
Ele sentiu cada ossinho de seu corpo ser esmagado completamente. Sentiu seus órgãos serem colados um no outro, triturados. A dor era insuportável.

O caminhão sequer se importou em parar. Continuou o seu caminho como se nada tivesse acontecido.

Alguns minutos depois, no que deveria ser seu último suspiro, ele sentiu seu corpinho sendo carregado. Uma voz fina chorava em agonia.

Ele sentiu-se abraçado por uma toalha macia, que logo ficou gelada de tanto sangue.

Na mesa cinza do veterinário, ele ouvia a vozinha fina chorando.
Com muito esforço, abriu seus olhos.

O que ele viu ali foi a imagem mais linda que essa vida já lhe ofereceu.
Uma moça jovem, chorando, pedindo à Deus que o gatinho resistisse.
A luz que vinha dela era impressionante. Um anjo.

Sentindo-se feliz, ele começou a ronronar. A moça botou-se a chorar mais ainda.
Ali, naquele momento, aquele gatinho agradecia humildemente por aquele amor recebido tão repentino. Um amor tão puro, tão intenso.

E reciprocamente, a moça desculpava-se ao gatinho. Desculpava-se pelas pessoas que fazem isso com seus animais. Desculpava-se pela falta de tudo que o nosso gatinho tinha passado. Desculpava-se pela educação do ser humano.

Segundos depois, ele morreu.


Deixou seu corpo jovem e cansado, esmagado pela maldade humana, ensanguentado pelo descaso.

Para ele, valeu a pena chegar aqui.
Viver até aqui, para encontrar, mesmo que em seu último minuto de vida, um ser humano tão cheio de amor, de carinho para dar aos animais.

Chegando no Céu, o gatinho foi falar com Deus.
-Deus, porque alguns humanos são tão insensíveis e outros são tão puros?

E Deus respondeu, afagando sua cabecinha pequena.
- Para dar valor ao Bem você precisa conhecer o Mal. Se as pessoas insensíveis não existissem, ninguém daria valor às pessoas de bom coração.

E o gatinho deitou no colo de Deus, e Ele continuou a acariciar sua cabecinha.

Moral da História:

Enquanto houver UMA pessoa do Bem para cada 10 pessoas do Mal, ainda valerá a pena.
Para cada 5 amigos que te dão as costas, você encontra UM verdadeiro que te apóia.
E essa pessoa faz valer a pena.

Enquanto 6 abandonam seus animais, UM adota.
Somos minoria, mas nem por isso somos mais fracos!

Prova disso está no fato de que, com apenas uma lâmpada é possível matar toda uma escuridão.

Você, pessoa de bom coração, continue fazendo a sua parte. Continue iluminando vidas e caminhos.

Receba com carinho o Selinho Comemorativo dos 50 Seguidores do Blog da Branquinha.


Esse selinho não é obrigatório, nem tem regras.
Leve se quiser. Ponha no seu blog se tiver tempo.

E independente de qualquer coisa, obrigada por estar aqui agora.
Principalmente, obrigada por amar e respeitar os animais.
E obrigada por ser a pessoa maravilhosa que eu sei que você é.

Beijo de nariz!

Ler Próximo Post.

20 comentários:

Gisa disse...

Que história triste e, ao mesmo tempo, linda; me fizeste chorar, pensando em todos os gatinhos que, neste momento, estão passando por situações assim...
Parabéns pelos 50 seguidores; sou uma felizarda por estar entre eles! Beijos para toda a linda família!

Maira disse...

Tô aqui com os olhos cheios d´agua...

Estou levando este lindo selinho da Branquinha, parabéns pelos 50 seguidores, vcs merecem muito mais!!!
adoro vcs!!!

Lizandra disse...

Parabéns pelo selinho de 50 seguidores, ai deu vontade de abraçar minhas gatas :)

Diane disse...

Linda a história. Aconteceu quase a mesma coisa com a minha pequena Michelle.
Ela foi chutada por alguém, teve o pulmão gravemente atingido e a retina do olho deslocada. E sobreviveu. Como ela é pretinha, ficou encalhada no site de adoção, mas eu não podia deixar aquela bolinha de pêlos ficar abandonada.
Hoje ela está feliz dormindo numa cama quentinha, brincando, pulando no sofá, fazendo ronron baixinho e sendo muito amada.

Arte dos Gatos disse...

Nossa, chorei com a história. Vou levar o selinho sim!
Bj
Simone

Carol Liôa disse...

amiga que história mais linda e emocionate! estou levando o selinho! Uma pena a maldade humana, perdi minha Steel por causa dela, e implorei o perdão dela!

Lizandra disse...

Deu vontade de chorar a história. Peguei o selinho

Comartins disse...

OLÁ AMIGA TUDO BEM COM VC?ESTOU DANDO UMA PASSADINHA PARA AGRADECER A PESSOA LINDA QUE VC É POR SEGUIR O MEU BLOG E DIZER QUE AMEI AS NOVIDADES SEUS TRABALHOS SÃO DE MUITO BOM GOSTO E BEM CAPRICHADO,VC É MUITO ESPECIAL POIS É MUITO CRIATIVA.TENHAS UMA SEMANA ABENÇODA E PRODUTIVA.BJINHOSSS.http://receitinhasdaco.blogspot.com/

Luzinha disse...

obrigada a ti, Branquinha, e a tua família linda que com esta história tão triste, mas tão emocionante faz a gente entender o quão importante é fazer o bem, sem importar a quem seja! tu és uma gatinha de sorte, por ter essa família linda e nós amigatos de sorte por termos te encontrado e agora tu também fazes parte da nossa vida!

*diz prá mamis que lã não é brega, não, o importante é que "funcionou"! aqui, amanhã, vamos fazer o mesmo, depois mostramos, tá?

bjus mil prá ti, Branquinha, pro Panda e prá Fantasminha e prá mamis também!

Uniqua disse...

Branquinha, obrigada pelo selinho. E obrigada por nos lembrar que existem muitos peludinhos por ai precisando de nos. Mas a gente esta sempre a postos e vai continuar ajudando os gatinhos, pode ter certeza.
Lambeijinhos para vc...

marta disse...

Que historia linda, muitos beijinhos para a branquinha :)
e miaus e ronrons da familia catish

Gata Lili disse...

Emocionante!!! Branquinha, queria que você fosse lá no meu blog hoje para votar em mim, pode ser?

Mirna disse...

Chorei...Ainda bem que existem as pessoas que amam...amam de verdade, e adotam os pequenininhos que precisam de um lar....
Já peguei o selinho!!!!

Cibele disse...

Nossa Branquinha....tu me fez chorar com esta história. Muito linda. Fiquei realmente emocionada.
Publiquei o selinho na galeria de selinhos da Agnes. Ficou lindo!
Uma beijoka enorme para todos dessa linda família!

papeis de carta disse...

Em lágrimas te escrevo pois é impossível não se emocionar com essas palavras que retratam a nua e crua vida dos animais que caem nas mãos estúpidas e humanos, o que eu disse? Humanos? Não! é impossível se julgar humano perante tanta crueldade que deparamos.
Branquinha, que Deus te abençoe ricamente, pois é uma filha de Deus amparada nesta vida.
Seu blog é um sonho, você é um sonho, e dedico um selinho ao seu blog.
Abraços e bitoquinhas, Ana Clara.

Ana disse...

Olá!
K historia mais triste, como pode o ser humano ser tão cruel e mesquinho????Meu Deus!!!
Mas infelizmente é uma verdade em toda a parte do mundo e existe dessa gente...Mas como á gente cruel tbem ainda á pessoa muito humanas,carinhosa e amigas dos nossos amiguinhos...
Vou levar o selinho amiga obrigada parabéns pelos 50 seguidores e venham muitos mais, e já vou publicar no blog dos meus meninos...
Um fim de semana maravilhoso beijokinhas..

Nino&Jokinha

Luciana disse...

...sem palavras... apenas lágrimas...
Vou levar teu selinho sim, e com muito carinho... mas antes vou lá atrapalhar o soninho e dar um amasso no meu Mingau...
Beijão

Luna e Rodolfo disse...

Branquinha, que linda história, muito triste. Estamos levando o selinho. Obrigada. bjs

Artes da GICA disse...

Branquinha minha linnnnda!!!Vc é um exemplo de humildade, coragem , perseverança e amor com sua amada e espirituosa "família" que Papai do Céu te deu...vcs são ímpar nesse mundo de hoje em dia!!!Obrigada por compartilhar conosco tão profundas e ricas histórias, onde tenta e "consegue sempre" nos mostrar algo de bommmmm...estou levando seu selinho e parabéns por mais essa conquista!!!TITIA te amaaaaaaa...ronrons pra todos e bjoka na mãezinha!

Cris disse...

*buááá*

Postar um comentário

 
^